Fundação Oswaldo Cruz vê potencial transmissão de zika por SALIVA e URINA

0

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vinculada ao Ministério da Saúde, anunciou nesta sexta-feira que detectou a presença do Zika vírus com potencial de provocar infecção em amostras de saliva e urina.

A evidência, baseada na análise de amostras de dois pacientes com sintomas compatíveis com o Zika, sugere a necessidade de investigar a relevância destas vias alternativas de transmissão viral, de acordo com a Fiocruz.

“O Zika vírus foi encontrado de forma ativa, ou seja, com capacidade de infecção, na urina e na saliva”, disse em entrevista coletiva na sede da Fiocruz o presidente da fundação, Paulo Gadelha.

Gadelha frisou que ainda não foi comprovada a transmissão do vírus por saliva ou urina, daí a necessidade de estudos adicionais.

De acordo com a pesquisadora Myrna Bonaldo, que liderou a pesquisa, é a primeira vez que se demonstra que o vírus está ativo na urina e na saliva de pacientes com o Zika vírus.

“(Isso) abre novos paradigmas para entendermos as rotas de transmissão do Zika”, disse ela.

Muito permanece desconhecido sobre o Zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. O Ministério da Saúde, no entanto, confirmou no ano passado a relação entre o Zika e o surto de microcefalia na Região Nordeste do país.

Os casos suspeitos e confirmados de recém-nascidos com má-formação cerebral ligada ao Zika vírus no Brasil chegaram a 4.074 até 30 de janeiro, segundo último balanço ministério. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência internacional pelo Zika em 1º de fevereiro, citando forte suspeita de relação entre o vírus em grávidas com a microcefalia.

Cientistas também estão estudando a potencial relação entre o Zika e uma rara doença neurológica que enfraquece os músculos e causa paralisia, Guillain-Barre.

link: http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/fiocruz-detecta-prensenca-de-viruz-zika-com-potencial-de-infeccao-em-saliva-e-urina