5 ATITUDES QUE AUMENTAM AS CHANCE DO SEU FILHO TER LÁBIO LEPORINO

0

O que é Lábio Leporino:
Em uma explicação resumida e rápida:
Os lábios se formam entre a quarta e a sétima semanas de gestação
Conforme o bebê se desenvolve durante a gestação, o tecido corporal e células especiais de cada lado da cabeça crescem em direção ao centro do rosto para juntar-se e formarem o rosto. Esta junção de tecido forma as características faciais como lábios e a boca. O lábio leporino ocorre quando o tecido que faz os lábios e/ou palato não se juntam completamente durante a gestação. Isto resulta em uma abertura na região superior da boca. Esta abertura pode ser pequena e atingir apenas os lábios ou ser maior e atingir até o céu da boca e o nariz.

Causas e fatores de risco para o lábio leporino:

Os pesquisadores ainda não sabem exatamente o que causa o lábio leporino. Porém, já se sabe que o lábio leporino está ligado a uma combinação de fatores que envolvem genética e também o ambiente da mãe durante a gravidez.
Algumas das atitudes na gravidez que já se sabe que podem favorecer o lábio leporino são:

1. Fumar e/ou consumir bebidas alcoólicas durante a gestação;
2. A mãe ter diabetes antes de engravidar;
3. Uso de certos medicamentos para tratar epilepsia ou enxaqueca, como topamax e valproic e também o uso de alguns de esteroides;
4. Não tomar suplemento de ácido fólico durante a gestação;
5. A mãe estar com obesidade durante a gestação.

Diagnóstico: O lábio leporino pode ser diagnosticado ainda na gestação por meio de um ultrassom de rotina.

Tratamento
Os principais tratamentos quando um bebê nasce com lábio leporino são:
– Realização de cirurgias para a correção do problema. Os bebês com lábio leporino geralmente fazem a primeira cirurgia até os 12 meses e depois costumam realizar outras cirurgias ao longo da vida
– Orientação em relação a cuidados especiais na amamentação.
– Orientação em relação a cuidados de higiene.
– Os bebês que nascem com lábios leporinos geralmente precisam do auxílio de um fonoaudiólogo para que possam desenvolver a fala corretamente.

Fontes consultadas: Centro de Controle de Doenças do Governo dos Estados Unidos